" De nada vale ter todo dinheiro do mundo se o importante está em nossos corações "

sábado, 16 de outubro de 2010

Make our dreams come true




De 26/6 a 16/10 é algum tempo em, quase 4 meses; mais de 100 dias sem postar nada, problema é que eu não me sentia ainda preparado para vir a este dissertar alguma ideia, estava com problemas bem maiores. Cheguei a escrever algo durante esse tempo, mas nada de fato com qualidade para postar aqui; enfim, um apagão. Nesse meio tempo sai do serviço de forma (ao meu ver) que não condiz com o tamanho desta grande empresa que trabalhei, porém, águas passadas. Logo após que sai, passei 2 meses estudando para o concurso de Oficial Escrevente do TJRS; não vi o edital, pretendo somente ver a convocação, não que tenha ido mal, mas é pra inibir um pouco a ansiedade. Bem, estudei, fiz o concurso e tudo bem, era a hora de trabalhar, as reservas estavam se esvaindo cada vez mais. Felizmente uma grande amiga lembrou de mim e consegui recentemente um bom emprego, na área que eu gosto e trabalhando diretamente com uma pessoa admirável.
Estava escutando a pouco a música The Zoo do Scorpions, quando me surgiu a seguinte frase :

“ Make our dreams come true ”

“ Faça nossos sonhos realidade “, frase forte, que faz pensar em nossa vida. O que estamos fazendo é apenas para nós mesmos? Eu precisei ver da forma mais difícil, deixando pessoas que realmente gostava para perceber que não era por mim apenas que estava ali. Acima de todas as dificuldades que tive na infância, sempre estudei e meus pais e alguns familiares sempre se esforçaram para me proporcionar o melhor possível, felizmente tive a cabeça de saber aproveitar essas oportunidades e seguir fazendo cursos e estudando; resultado que se refletiu em 2008/2009 quando consegui minhas bolsas. Não senti orgulho por mim , mas de poder retribuir todo aquele apoio dado lá 10 anos atrás. Muito ainda é necessário ser feito e espero sempre dar as maiores alegrias para aqueles que sempre estão comigo e para meu vô que já partiu e tem grande parcela na formação da pessoa que sou hoje. Hoje, também me sinto realizado pessoalmente, pois finalmente vou trabalhar na minha área, espero que tudo dê certo.

Sempre lutar, talvez ganhar, mas nunca desistir.


That’s all folk’s ~

sábado, 26 de junho de 2010

Dinheiro x Felicidade





Exatamente 2 meses; to começando a achar que o 26 é meu número de sorte. Bem, 2 meses nada mudou, tudo continua na mesma, está bom, não da pra reclamar. O post de hoje surgiu com uma conversa na Confraria do Rock ontem a noite com o brother Willis.

O que é felicidade? Aonde está a felicidade? Quanto vale a felicidade?

Em uma sociedade cheia de místicas, elementos capacitadores & degradadores, status, poder, conceitos & preconceitos; nada é mais relevante para uma pessoa do que o dinheiro. Não importa se tu vende drogas, mata , vive da desgraça, corrompe ou chantageia pessoas; se do mau delas tu faz teu bem, que importa é quanto tu tem, o quanto tu pode, e quanto tu ganha. Não digo que viver de um salário mínimo seja uma maravilha, mas uma verdade seja dita: dinheiro não compra felicidade. Nestes 20 anos rescém completos ( que minha mãe fala ‘quase 21’) convivi com algumas pessoas, vi algumas situações, gente praticamente comprando a amizade e se sentindo (visívelmente) infeliz com aquela situação, mas mesmo assim, para mostrar a (falsa) impressão de “eles gostam de mim e não de ti”; mesmo que depois tenha de dar algum “agrado” para aquele “amigão”. É, garanto que não apenas eu vi situações deste tipo. Voltando ao foco, dinheiro é comodidade; se for analisar a função do dinheiro, ele serve para pagar nossas necessidades (nem sempre) básicas; apenas aqueles fracos de caráter se deixam corromper por um maço de papel. As pessoas facilmente confundem também um indivíduo bem sucedido com alguém feliz; se um gerente que ganha R$ 10 mil, as pessoas admiram ele, ele é ‘o cara’; não tem comparação com o operário que ganha R$ 2 mil e trabalha 10 horas por dia; porém ninguém sabe qual dos 2 é feliz; o velho chato gerente, que vive andando de Audi e mora sozinho em sua cobertura; o o operário que mora no suburbio, tem seus 3 filhos que ele sustenta bem com seu dinheiro; é uma questão do que realmente vale a pena na vida.



That’s all folk’s ~


domingo, 28 de março de 2010

No Limits.





De “Saturday night fever” para um “Sunday Bloody Sunday”. Hoje estava observando, em quantos lugares tenho dor no corpo, achei mais de 10 lugares, caótico; mas me mostrou também, como superei isso para continuar fazendo o que gosto ( leia-se jogando futebol), e lembrei das conquistas e derrotas que fizeram parte da minha vida, creio que todos também tenham suas batalhas pessoais diárias, que tem várias derrotas e vitórias. Nem sempre a derrota é inglória, basta nossa consciência para saber se nos esforçamos ao máximo, ou não. “ Para tudo se tem solução, só não tem para a morte”, assim diz a minha mãe, e (dessa vez ) tenho que concordar com ela; quem fala do impossível é aquele que tem medo de lutar em vão, porém nunca se luta em vão, ( igual ao Tibia ) pelo menos a experiência fica. Essa história dos limites, me lembra muito Passo Fundo, fui para lá com pouquisssima condição, passei por umas (muito) ruins; mas pensava apenas no meu sonho, que estava fazendo o que gostava, e de tudo que havia passado para estar lá; porém voltei, mas de consciência limpa, não foi por algo que eu quis, fatores fora do meu campo de ação; não fiquei muito incomodado por isso, havia passado pela minha prova de fogo, havia ocorrido meu amadurecimento, um guri de cidade pequena, que andava só na cidade grande.
Bem, o impossível é o desafio, até ser provado ao contrário ele não pode ser impossível; apenas a física é indiscutivel, como atirar uma pedra pro chão e esperar que ela suba (?!).
Voltando a Passo Fundo, eu não desisti de um sonho, apenas adiei ele, não era o momento; mais importante que saber parar, é quando começar, quando é o momento, quando temos de iniciar; e o mais importante, ter em mente que do céu só cai chuva, raios e um pouco de granizo de quando em vez.

That’s all folks ~

sábado, 27 de março de 2010

Tudo que uma mulher deseja.




Dinheiro? Bom de cama ? Respeito? Músculos ? Carro? Carinho ? Muitas perguntas e qualidades se atribuem a espécie contrária ( lembra daquele ditadinho, “ os opostos se atraem”; acho que é a primeira vez que faz sentido fora daqueles besteiróis americanos pré-adolescentes da década de 90) o que de fato uma mulher deseja ? Difícil saber, difícil delas perceberem; sempre falam que todo homem é igual, só muda de endereço, enquanto esse rótulo permanecer será difícil algum avanço. Agora com a idade avançando ( quase 20 !), o pessoal (eu) começa a criar juízo e a ter algo mais concreto, um pouco mais sério; com isso, para quem não quer ficar para trás tem de se ligar e sair atrás do prejuízo. Bem, vamos ao que interessa então. Primeiramente tudo depende da mulher,literalmente, qual é o estilo, gostos, costumes, assuntos; logo se quer uma mulher descente, seja descente; ou vice-versa. Sempre tenha em mente a teoria da “ mulher-maçã ” (não, não é a mulher fruta, não é peito com pernas; nem nenhuma mulher balançando um alien em forma de bunda); para quem não conhece, é um texto de Machado de Assis ( A mais de 100 anos atrás ele já era mais lúcido sobre a complexidade das mulheres que muitos homens que andam por ai ):

"As Melhores Mulheres pertencem aos homens mais atrevidos. Mulheres são como maçãs em árvores. As melhores estão no topo. Os homens não querem alcançar essas boas, porque eles têm medo de cair e se machucar. Preferem pegar as maçãs podres que ficam no chão, que não são boas como as do topo, mas são fáceis de se conseguir. Assim, as maçãs no topo pensam que algo está errado com elas, quando na verdade, ELES estão errados... Elas têm que esperar um pouco mais para o homem certo chegar... aquele que é valente o bastante para escalar até o topo da árvore”.


(Machado de Assis)

Até hoje no que li, não consegui achar algo que definisse melhor o comportamento do homem em relação a mulher do que esta mensagem; apenas discordo na parte da ‘valentia ’, eu substituiria por ‘merecedores’ daquelas saborosas melhores ‘maçãs’; prosseguindo. Não tente impressionar ela pelo que tu tem, mas sim pelo que tu é ( “ Você é um homem ou um pé de cebola !!! ?”); a não ser que queira pegar uma Maria (chuteira, cuturno, gasolina, . . .); ai a história muda de figura mesmo. Falar pouco, escutar muito; elas querem um companheiro, alguém que escute quando ela chegar do trabalho, que queira saber o que aconteceu na novela ontem, e que aquele professor de Empreendedorismo pegou no pé dela. Seja rômantico, sim algumas ainda gostam disso; abrir a porta , e carregar aquele pacote dela, por mais leve que seja, vai mostrar que tu realmente se importa com ela e o bem estar dela ( como diria o mestre “ o que vale é a intenção “). Não force ela, pegar a força nem pensar ( só se ela pedir, e nada de ‘quebra ossos’ ) como minha mãe fala : “ Para cada pé cansado, tem um chinelo velho.”, se não for ela, não insista; tu não vai querer ver ela te virando a cara em todo lugar que te ver não é mesmo; além de queimar tuas possibilidades em um considerável grupo de mulheres ( que tu acha que elas ficam tanto tempo falando no msn ?).

Por mais que sejamos superiores (?), não somos (ainda) videntes, então, não custa nada perguntar o que comer, aonde gostaria de ir; nem todas gostariam de passar um sábado inteiro vendo todos os filmes do Rocky. Bem, isso é algo do (pouco) que aprendi sobre esses seres maravilhosamente caóticas que tornam nossa vida extremamente feliz, ou não :o

That’s all folks ~

 
Copyright 2010 ® ~ > Novos Horizontes